quarta-feira, 12 de outubro de 2016

MINHAS LEMBRANÇAS DE PRESENTES NA INFÂNCIA

Ganhei todos os hominhos dos cavaleiros do zodíavos com aquelas armaduras lindas, enterrei todos num monte de areia que tinha na casa da minha avó e só foram achados depois de quase um ano todos cagados.
Ganhei um carrinho de controle remoto, fui brincar com ele na rua e deixei ele cair num bueiro.
Ganhei um kit de fazer bolhas de sabão (❤), joguei a água com sabão nos olhos do meu melhor amigo, lembro muito bem dos gritos dele e dos meus também.
Ganhei um bate bate (aquelas bolas amarradas numa cordinha), fiquei tão obcecado naquilo que meu pulso ficou cheio de hematomas e um caroço enorme, meu pai disse que era um tumor maligno, nunca mais brinquei com aquilo.
Ganhei uma bicicleta BMX, troquei ela por um par de patins com outra criança.
Ganhei um Super Nintendo, abri ele pra ver como funcionava. Eu abria tudo que tinha parafuso e as coisas nunca voltavam a ser como eram. 

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Eu não gosto mais de sair na chuva, nem observo mais a cidade em movimento da janela do carro, não canto mais no chuveiro, nem sinto mais vontade de correr pelas ruas.

Não quero mais conversar sobre meus males sem cura, não tenho mais ânimo para falar da vida alheia, não me entristeço com notícias tristes nem me alegro com relatos felizes.

Não tenho mais pratos prediletos, vontade de fazer algo diferente, sinto preguiça de sair de onde estou e ando meio sonolento.

Às vezes a vida para e você não sabe se rebola sua vida para o futuro ou paraliza aqui mesmo.

Tem algo me fazendo falta, algo era para vir e não veio. Alguma coisa não acontece no meu coração.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Aquele sorriso, naquela noite, daquele dia. O abraço que você queria. Aquela mensagem que você esperou o dia todo e aconteceu às onze e meia da noite. O resto do sorvete. O suco de caixinha gelado. A ligação inesperada. A música que você sempre gostou e nunca soube o nome. Aquela rua que te leva à algum lugar novo.

"if i could be who you wanted. if i could be who you wanted all the time." [Fake Plastic Trees]

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Trago todas as minhas bagagens, as antigas e as novas. Anda comigo tudo que tenho acumulado nesses anos estranhos, pares ou ímpares. Não é medo nem apego, é só uma maneira pesada de lembrar quem sou todos os dias.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Quando você quer rasgar o peito em dois e contar o que passa lá dentro, ninguém te ouve.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

domingo, 12 de junho de 2016

Dia dos namorados

Eu nem tenho nada pra lhe falar...
É só uma desculpa pra achar que você está logo ali onde eu posso alcançar. Mas, na verdade é que você já foi faz tempo e a verdade é que eu já fui também. E tudo bem.

Sobrevivemos e vivemos sem saber um do outro, sem saber se... Porque tem sempre esse se. Atrapalho da realidade. Tropeço. Quase incômodo. Quase. Porque se eu fechar os olhos, posso lembrar de cada detalhe seu, mas isso não me impede de dormir em paz.


sábado, 11 de junho de 2016

Aleatoriedades #2

Sábado, 23:17 e eu não estou triste, nem me sentindo sozinho ou incomodado com algo. Estranho... não tenho nenhum motivo especifico, mas hoje, nesse momento estou em paz. Mas, por enquanto tenho tido vontade de muitos silêncios.

“Hoje eu acordei sem nada no estômago, sem nada no coração, sem ter para onde correr, sem colo, sem peito, sem ter onde encostar, sem ter a quem culpar...“ Tati Bernardi

Amanhã será dia dos namorados, eu como bom sagitariano nunca fui de levar essa data muito à sério, mas acontece que será a primeira vez solteiro depois de três anos, realmente não sei como vai ser.

Deixar de se relacionar com uma pessoa porque você simplesmente quer ver ela todos dias faz algum sentido? Ninguém precisa se justificar.

Eu tenho algumas regrinhas de relacionamentos, é um sinal que percebi, quando alguém se entrega rápido demais também irá se desinteressar na mesma velocidade. Nunca me enganei, infelizmente.

Hoje o facebook me lembrou essa publicação minha de 2011: "no fundo eu sempre soube. soube desde o dia em que te conheci que nao aconteceria. pq quando o amor nao acontece antes de tentarmos entende-lo, nao acontece mais....". Eu não entendi nada, nem lembro pra quem seria, nem porque eu tinha problema em colocar acento nas palavras. Eu e os meus envolvimentos amorosos.

Enquanto isso nos fones:Clarice Falcão: "Eu quero ver você numa piscina de óleo fervendo pedindo socorro e eu te oferecendo uma dose de rum pra você se esquentar".

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Solidão é algo sólido

Troca de energias: perceber que quando você está mal e divide isso com as pessoas, você até recebe algumas palavras de apoio, mas persiste na pior. Perceber, não sem alguma tristeza, que quando você divide uma ótima novidade com um determinado, ela tende a durar pouco, azedar. Se eu não tivesse já tomado tanta porrada ficaria decepcionado. O encanto está em apreciar suas vitórias sozinho, como um compulsivo come com as mãos os restos de um bolo de madrugada, com a geladeira aberta.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

De vez em quando dá pra pensar que está tudo no lugar errado. O sol nem brilha mais tanto. A chuva também não é mais tão bonita. Aquele ventinho frio que entra pela janela às 06:26 já chega a dar nos nervos e antes só me dava prazer. Ainda me dá prazer, mas é diferente. Talvez menos, talvez mais. A verdade é que não consigo mais medir nada do que passa pelo sangue. Só sei que ainda sinto enjôo com o balanço do ônibus e que não me sinto muito feliz com isso. Nem triste. Só sinto, mas quando deito na cama e sinto cada parte do meu corpo quase em ebulição descubro que essa coisa sem nome é uma paz que anda muito pouco por aqui e por isso quase não consigo medir e chego a achar estranho, mas na verdade não é.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Sobre relacionamentos e sapatos

Eu ando numa fase chata de ficar comparando relacionamento com tudo (mais inclinado à coisas ruins). Dae que eu comprei um tênis da Adidas pra correr achando que estava fazendo um baita negócio e o danado do tênis está acabando com a minha vida. Então eu me pus a pensar: o que relacionamento tem a ver com calçado? TU-DO!
Você nem estava precisando ou procurando, mas a vida vem e te apresenta aquele calçado que faz seu coração coçar da alegria. Claro que você não vai metendo os pés pelas mãos e agarrando ele de vez pois tem medo de que não seja seu número. Então aos poucos você resolve se aproximar, vai se deixando usar por uns dias sim e nos seguintes também, até perceber que lhe cabe por completo. 
Então, você percebe que já não consegue mais andar descalço, porque dói o pé - ou coração, mas eu tô falando de sapato. Mas também não é bacana só conseguir usar seu sapato favorito se estiver usando band-aid porque sapato bom mesmo é aquele que você usa todos os dias e não se cansa, nem mesmo depois de anos. Sapato bom mesmo é aquele que não importa qual moda a galera tá usando, ele sempre será a sua escolha. sapato bom mesmo é aquele que não importa a distância percorrida, seus pés sempre estarão confortáveis, caso contrário, é melhor jogar fora e esperar por outro ou então ficar descalço e sentir novas sensações. Pois é!

terça-feira, 7 de junho de 2016

Tem dias que a vida quer porque quer te colocar no chão,
mas tem um detalhe:
eu não deixo!
Eu vou invadir teu sonho vou relaxar teu sono e sair.
Eu vou sacudir sua alma acabar com a sua calma e dormir.
Eu vou te trazer um docinho, vou te fazer um carinho e sumir,
Só pra saudades te dar. [...]

                                                                             Léo Fressato

sábado, 4 de junho de 2016

Aleatoriedades #1

Sábado, 22:44 e eu estou com uma suruba de pensamentos na cabeça e sinto que qualquer hora eu vou simplesmente apagar como um computador velho sobrecarregado, e é por causa disso que mantenho esse bloguinho aqui.

Estava lembrando de quando sábados eram dias especiais pra mim, virar a noite bebendo vinho barato em alguma praça qualquer com os amigos já me bastava pra ser feliz. Ultimamente estou sendo feito só de lembranças.

Eu queria entender o que se passa na cabeça de alguém pra uma hora estar todo fofo com você, fazendo planos pro fim de semana, manda mensagem de "bom dia" e de repente no mesmo dia ignora sua existência. Eu deveria ir bater na porta da criatura, por as mãos na cintura e perguntar: "QUAL É O SEU PROBLEMA, VIADO?". Mas não vai acontecer porque eu tenho um amor próprio bem exercitado que me impede de chegar à tal ponto, também periga d'eu ouvir que o problema sou eu. Eu sei que ninguém é obrigado à nada, mas as pessoas são volúveis demais pro meu gosto. Tanto faz.

Não confio em quem não deixa o "visto por último" do Whatsapp desativado, pra mim pessoas que fazem isso têm o rabo preso sim.

Ontem fiz maçãs do amor e descobri que é ridiculamente fácil fazer, só vai água, açúcar, maçã e amor que eu troquei por rancor e deu na mesma. Tem gente que cobra 5 fucks dinheiros por uma, e eu pago porque o que vale é a magia das festas juninas. Isso também vale pra ovos de páscoa.

Eu gostaria muito agradecer à quem teve a maravilhosa ideia de fazer uma série com a Zooey Deschanel, merece um nobel de melhor pessoa. Inclusive agora vou abrir uma cerveja e assistir "New Girl" até perder qualquer traço de sociabilidade. Obrigado.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Vem que
Essa casa
Esse quarto
Essa cama
É um poço sem fundo
e eu me afogo muito!

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Estava aqui sentadadinho no vão da porta da cozinha pra área olhando meu cachorro Peralta com o saco pra cima todo arreganhado pro sol e cheguei à conclusão de que pra aguentar essa vida só fumando muita maconha mesmo porque olha, quanto mais velho, mais complicado. Infelizmente sou um bosta que prefere levar a vida no hard e não fuma nem cigarro comum, quanto mais maconha. Mas se eu tivesse um pouco mais de desapego nas coisas e tivesse menos medo de acabar a vida morando na rua e passando fome, eu largava tudo e ia passar horas e horas deitado com as pernas pro alto só fumando maconha mesmo e fuck the world. Você passa a vida toda tentando agradar todo mundo, pra nunca decepcionar ninguém, e no fim não vale de nada porque foda-se você trouxão, as pessoas vão tirar motivos do meio do cu pra implicar com você. Aí você se pega um dia esperando a lotação reavaliando sua vida e percebe que você deveria desde sempre ter mandado todo mundo pro meio da casa do caralho logo em vez de tentar ser legal. Você deveria desde sempre ser um fumante de erva desenfreado mesmo e fuck the police, fuck life, fuck you and everything. No fim você vai acabar sozinho mesmo.

sexta-feira, 20 de maio de 2016